Quinta, 10 Setembro 2020 18:32

Cervicalgia X Smartphone: Síndrome do Pescoço de Texto Destaque

Avalie este item
(1 Votar)

Com a necessidade de isolamento social causado pela pandemia da Covid-19, o mundo passou a ser visto por outra janela, a digital. Os smartphones e tablets passaram a ser meios de acesso ao trabalho, às aulas e ao divertimento. 

Em detrimento desta overdose de uso, ocorreu uma incidência no aumento de casos de cervicalgia e dores na região do ombro. A região lombar ainda ocupa o primeiro lugar em distúrbios osteomusculares, porém, os índices apontam que, em poucos anos, a região cervical passará a esta colocação, devido às mudanças sociais e tecnológicas.

Dados preocupantes

Dados da Organização Mundial de Saúde revelam que 37% dos brasileiros convivem com a queixa dolorosa na região cervical, enquanto a média mundial está em torno de 35%. O incremento dos números está diretamente relacionado aos aplicativos de mensagens e uso das redes sociais.

 

Coluna vertebral e região cervical

Na posição sentada, a coluna vertebral - de uma forma geral, suporta um aumento de 35% na pressão entre os discos vertebrais. Quando somamos à postura de flexão, esta pressão distribui-se de forma irregular nos discos intervertebrais, sendo a maior causa de surgimento das hérnias discais.

A região cervical é a mais delicada de toda a coluna, não tendo a capacidade de absorver este aumento pressórico e de carga sobre suas estruturas musculares, nervosas e tendíneas. 

Quando flexionamos a cabeça, aumentamos a sobrecarga imposta na região do pescoço. Para quantificarmos este aumento de sobrecarga, o fato de sustentar a cabeça na posição neutra, impõe à coluna um encargo de aproximadamente 5kg de força sobre o pescoço. A medida que o pescoço é flexionado para frente, a sobrecarga na região aumenta para 18kg a 30° de flexão e para 27kg a 60° de flexão.

Por conta disto, a síndrome dolorosa causada pelos dispositivos tecnológicos tem sido denominada “text neck” ou “pescoço de texto”.  Os sinais e sintomas mais comuns são: dor inespecífica, espasmos e contratura muscular na região cervical e parte superior do tronco (trapézio).

 

Tratamento

As recomendações para o alívio da sintomatologia preconizam o uso de medicamentos anti-inflamatórios ou relaxantes musculares, associados com a fisioterapia. 

Quando identificada a causa como uso de dispositivos móveis, orienta-se a redução do tempo de uso, assim como a vigilância na postura durante sua utilização, lembrando sempre da importância dos períodos de pausa para relaxamento das estruturas.

 

Ler 122 vezes
© 2016 Serviço Social do Comércio - Sesc PB. Todos os direitos reservados. Designed By JoomShaper